AS 10 MARCAS MAIS VALIOSAS DO MUNDO EM 2019

AS 10 MARCAS MAIS VALIOSAS DO MUNDO EM 2019

A Amazon ultrapassou a Apple e tornou-se a marca mais valiosa do mundo, de acordo com o ranking BrandZTM 2019. O ranking é feito pela empresa de pesquisa Kantar, em parceria com o grupo WPP, e foi divulgado na Bolsa de Valores de Nova York (EUA).

Graças a um crescimento anual de 52% no valor da marca atribuído, entre outros fatores, a novas fontes de receita e à capacidade de se manter à frente da concorrência, a marca Amazon foi avaliada em US$ 315,5 bilhões, à frente de Apple (US$ 309,5 bilhões) e Google (US$ 309 bilhões).

Instagram, Netflix e Uber: crescimento acelerado.

O estudo também aponta a ascensão vertiginosa do Instagram, que subiu 47 posições e registrou crescimento de 95% em valor de marca (US$ 28,2 bilhões, 44ª colocada). O crescimento expressivo de marcas como Netflix (65%), Uber (51%) e da própria Amazon refletem um contexto de mercado orientado por tecnologia e em constante mudança, de acordo com os analistas da pesquisa.

Veja as 10 marcas mais valiosas do mundo:

  1. Amazon: US$ 315,5 bilhões (+52%)
  2. Apple: US$ 309,5 bilhões (+3%)
  3. Google: US$ 309 bilhões (+2%)
  4. Microsoft: US$ 251,2 (+25%)
  5. Visa: US$ 177,9 bilhões (+22%)
  6. Facebook: US$ 158,9 bilhões (-2%)
  7. Alibaba: US$ 131,2 bilhões (+16%)
  8. Tencent: US$ 130,8 bilhões (-27%)
  9. McDonald’s: US$ 130,3 bilhões (+3%)
  10. AT&T: US$ 108,3 bilhões (+2%)

Fonte: Uol Economia.


COMPARTILHE ESSE CONTEÚDO...
USAR PERFIL PESSOAL COMO PERFIL ‘COMERCIAL’ NO INSTAGRAM PODE PREJUDICAR A SUA PRIVACIDADE NA REDE

USAR PERFIL PESSOAL COMO PERFIL ‘COMERCIAL’ NO INSTAGRAM PODE PREJUDICAR A SUA PRIVACIDADE NA REDE

 

Para ter uma conta comercial no Instagram e acessar estas informações, é preciso informar um número de telefone ou e-mail ao público.

Milhões de jovens usuários do Instagram estão transformando seu perfil pessoal em comercial, apenas para ter acesso a algumas métricas da rede social e ao desempenho de seus posts. Porém, o que muitos não sabem, é que isso resulta em grande perda de privacidade.

Além de ter que deixar sua conta aberta ao público, ao mudar para uma conta comercial, os usuários concordam em deixar explícito seu número de telefone ou e-mail no aplicativo. A escolha, facilitada pelo design e pelo estímulo do próprio Instagram, pode colocar em risco a privacidade do jovem e de seus amigos, segundo David Stier, cientista de dados independentes.

Stier conduziu uma pesquisa com 200 mil contas no mundo, utilizando várias técnicas de amostragem diferentes. “Converso com os pais e pergunto: ‘Você sabia que, se seu filho de 13 anos transformar a conta dele no Instagram em uma conta comercial, mais de 1 bilhão de pessoas terão acesso às suas informações de contato?”, disse ele. “Todos os pais com quem falo dizem algo como: ‘você está brincando?”.

O Instagram disse que qualquer um pode mudar sua conta do Instagram para um perfil comercial. “Permitimos isso porque queremos que qualquer pessoa no Instagram possa começar um negócio, caso queira. Durante o processo de configuração, lembramos às pessoas que suas informações de contato estarão acessíveis a outras pessoas e permitirão que atualizem ou ocultem essas informações”.

O cientista contou que alertou o Instagram sobre o problema. Em resposta, a empresa deixou as informações pessoais menos visíveis. A rede social também informou que define 13 anos como idade mínima para abrir uma conta. Contudo, a maioria dos usuários simplesmente ignora essa definição.

Stier verificou a idade das pessoas com informações exibidas nas biografias ou perfis dos usuários. Ele disse que viu adolescentes com perfis com informações como “sem fins lucrativos” ou “atletas”. Mas, ao analisar seus perfis, descobriu que uma parte significativa deles não era de empresas, mas de pessoas comuns, às vezes com meras centenas de seguidores.

O Instagram disse que não considerou as descobertas do cientista uma vulnerabilidade, visto que a rede social alerta ao usuário sobre a idade mínima e sobre a exibição pública de informações de contato, o que significa que as pessoas fizeram suas próprias escolhas.

Porém, Stier ainda acredita que a empresa poderia tomar mais responsabilidade e encontrar um meio de não deixar as informações pessoais de contato disponíveis ao público.

Via: Olhar Digital

COMPARTILHE ESSE CONTEÚDO...
Como saber se seu WhatsApp está sendo clonado

Como saber se seu WhatsApp está sendo clonado

É possível saber se seu WhatsApp está sendo clonado com algumas dicas simples. Como o mensageiro é o app mais usado no mundo, as tentativas de invasões também tendem a ser grandes. O app, que está disponível para Android e iPhone (iOS), não funciona em dois celulares ao mesmo tempo. No entanto, ao conseguir acesso ao smartphone ou ao chip do telefone – e, consequentemente, ao QR code do aplicativo – uma pessoa mal-intencionada pode visualizar suas conversas pessoais, incluindo fotos e vídeos.

Para se proteger e evitar que suas mensagens estejam na mira de invasores, há algumas recomendações essenciais, como verificar se há dispositivos não autorizados logados no WhatsApp Web/Desktop. Além disso, é importante reconhecer quando a plataforma está vulnerável. A seguir, conheça três métodos para testar no seu celular e descobrir se o WhatsApp está sendo “vigiado”.


Publicidade


  1. VERIFICAR ATIVIDADES ESTRANHAS EM SUA CONTA

É importante ficar atento às mensagens que você provavelmente não enviou e estão no seu celular. Outra dica interessante é verificar se uma conversa consta como lida, mesmo que você não tenha recebido a notificação ou visualizado o conteúdo. Esse comportamento pode significar que o seu WhatsApp está ativo em um lugar diferente do seu aparelho. Falhas pontuais podem ocorrer no aplicativo – porém, se os episódios continuarem a se repetir, é preciso ficar alerta.

  1. SESSÕES ATIVAS NO WHATSAPP WEB

O WhatsApp Web permite acessar a conta do mensageiro pelo computador. Basta digitalizar o QR code do celular para visualizar suas mensagens no desktop em tempo real. Graças ao recurso, é possível verificar se há algum dispositivo não autorizado conectado ao aplicativo. Na opção de “Ajustes” do WhatsApp, o usuário deve ir na opção “WhatsApp Web/Desktop” e conferir quais aparelhos estão com sessões ativas. Caso você reconheça alguma movimentação estranha, é só clicar na opção “Sair de todas as sessões”. Dessa forma, se houver algum dispositivo desconhecido conectado, ele será removido.

  1. CUIDADO COM APPS ESPIÕES

Por meio de aplicativos espiões, geralmente disponíveis apenas em celulares Android, pessoas mal-intencionadas podem ter acesso às ligações e mensagens de seu celular, inclusive do WhatsApp. Vale lembrar que, para isso, é necessário ter acesso físico ao smartphone para instalar o app. Para se proteger, é necessário estar atento às movimentações suspeitas e softwares desconhecidos armazenados no aparelho.

mSpy, por exemplo, é um programa criado com a função de ajudar os pais a monitorarem tudo que seus filhos acessam e recebem em dispositivos móveis. Além disso, também é utilizado por empresas que desejam seguir as ações de seus colaboradores nos celulares e tablets corporativos. O sistema pode ser polêmico por conta da instalação discreta e se for usado com objetivo diferente do proposto, como, por exemplo, para vigiar o WhatsApp de alguém.

COMO SE PROTEGER

Para evitar que seu WhatsApp seja invadido, é interessante seguir algumas dicas de segurança.

Ative a verificação em duas etapas nas configurações da conta do WhatsApp. O recurso adiciona uma camada extra de segurança ao aplicativo;

Não instale apps de fontes desconhecidas ou não autorizadas. Além disso, evite usar o mensageiro em versões “turbinadas”, como o GB WhatsApp ou Yo WhatsApp. Procure sempre baixar a plataforma a partir da Google Play Store ou App Store;

Evite conectar o celular em conexões Wi-Fi desconhecidas;

Para iPhone (iOS), há a alternativa de bloqueio por meio do uso do Touch ID (impressão digital) no WhatsApp. É importante frisar que a atualização está disponível apenas para usuários do iPhone 5S e modelos superiores (até iPhone 8 e 8 Plus). Nos casos dos modelos iPhones X, XS, XS Max e XR, a proteção é feita com reconhecimento facial;

Não deixe o smartphone sem vigilância quando estiver distante dele. Evite compartilhar o aparelho com estranhos;

Instale um aplicativo para colocar senha no WhatsApp. Dessa forma, quando alguém tentar acessar o mensageiro, será necessário digitar também a senha do aplicativo, além do desbloqueio normal do celular;

Se o seu WhatsApp já está hackeado, é possível desativar sua conta enviando um e-mail para support@whatsapp.com. Se o perfil não for acessado por 30 dias, ele será excluído automaticamente.

Fonte: TechoTudo


CPT - Centro de Produções Técnicas


 

COMPARTILHE ESSE CONTEÚDO...
Novidade: WhatsApp pedirá sua permissão antes de adicionarem você em grupos…

Novidade: WhatsApp pedirá sua permissão antes de adicionarem você em grupos…

 

Uma das funções mais pedidas por usuários do WhatsApp há anos finalmente começará a ser implementada pelo aplicativo. Segundo o WABetaInfo, que costuma antecipar informações do serviço com alta quantidade de acertos, o mensageiro passará a testar um recurso que impede que você seja adicionado em grupos sem sua permissão. A funcionalidade é, para muita gente, um sonho virando realidade. Sabe aquele monte de grupos em que você é adicionado sem que quisesse estar ali? Isso finalmente vai acabar…

A funcionalidade ainda não está disponível por seguir em desenvolvimento, mas em breve estará presente tanto no iOS quanto no Android. Agora é só torcer para esse processo ser rápido….

 



COMPARTILHE ESSE CONTEÚDO...