Archive for Google

Saiba como recuperar mensagens apagadas no WhatsApp

recuperar mensagens apagadas

Seja por acidente ou tentando esconder alguma coisa, é comum nos epararmos com a necessidade de apagar algumas mensagens do WhatsApp. Caso você se arrependa dessa decisão, ou precise recuperar esse histórico por algum motivo, saiba que é possível trazer de volta essas conversas em poucos passos.

Uma mensagem apagada pelo aplicativo não significa que ela simplesmente deixou de existir. Se a mensagem que você quer recuperar foi enviada ou recebida em algum momento nas últimas 24 horas, basta desinstalar o WhatsApp do aparelho e instalá-lo novamente em seguida. Ao reiniciar, o app vai pedir sua permissão para recuperar as conversas mais recentes.

O WhatsApp não armazena as mensagens dos usuários em um servidor na nuvem por respeito à privacidade, mas você pode manter um backup de segurança por conta própria. Caso esteja usando um iPhone, abra a opção “Ajustes” no WhatsApp, siga até “Ajustes de Conversa”, toque em “Backup de Conversas” e certifique-se de que a opção “Auto Backup” está ativada.

01-w

Assim, seu histórico de mensagens ficará sempre salvo e atualizado pelo iCloud. Se algum dia precisar recuperar alguma conversa, basta desinstalar o WhatsApp e instalá-lo novamente para descarregar o backup pelo serviço da Apple. Porém, se você estiver usando o aplicativo em um dispositivo Android, o caminho é um pouco mais complexo.

O WhatsApp mantém cópias dos últimos sete dias em uma pasta dentro do sistema Android, armazenada no cartão SD ou na memória interna (dependendo das suas configurações). Para ter acesso a esses dados, você pode conectar o celular a um PC por meio de um cabo USB ou utilizando um aplicativo dedicado de gerenciamento de pastas. Nesse caso, usamos o File Manager, mas você pode optar pelo ES File Explorer ou o Web PC Suite.

Para encontrar esse backup, inicie o gerenciador de arquivos no smartphone ou no PC. Escolha o diretório correspondente à memória interna ou externa do seu dispositivo – aquela em que o WhatsApp estiver instalado no celular – e procure pela pasta com o nome do app. Dentro dela, abra a subpasta “Databases”.

É aqui que você vai encontrar as cópias de segurança das mensagens. Repare que cada arquivo possui no nome uma identificação (“msgstore”) e a data correspondente (ano-mês-dia). Um desses arquivos, porém, não tem qualquer data. Esse é o backup das últimas 24 horas – aquele que o Whatsapp recupera automaticamente após ser reinstalado.
02-w

Selecione o arquivo correspondente ao dia da conversa que você quer recuperar e abra a opção de renomeá-lo. Apague do nome do arquivo a data em que aquela conversa foi feita, para que o WhatsApp pense que aquele histórico é o das últimas 24 horas.

Lembrando que o app só vai reconhecer um arquivo de cada vez, ou seja: não adianta renomear todos eles esperando que a restauração do WhatsApp recupere as conversas da última semana inteira. Ele só vai trazer de volta as mensagens de um dia específico.

Também não se esqueça de mudar o nome do backup original, aquele que você encontrou sem data ao abrir a pasta, para não confundir o sistema. Após fazer as alterações, feche o aplicativo de gerenciamento de arquivos ou remova o celular do PC. Agora, é só desinstalar o WhatsApp e instalá-lo novamente em seguida.

Ao reiniciar o programa, aquele arquivo que você modificou vai ser reconhecido como o histórico do último dia de conversas e será recuperado. Você pode realizar esse processo quantas vezes quiser, desde que não se perca com as datas de cada arquivo. Lembrando que mensagens mais antigas, trocadas há mais de sete dias, não podem mais ser recuperadas caso você as tenha apagado.

Fonte: Olhar Digital

Mensagem antiga do Facebook volta a assombrar o feed

Mensagem antiga do Facebook

Em 2012, o Facebook havia sido contaminado por um boato bastante irritante que acabou enganando várias pessoas nessa época. O que chateou muita gente foi o fato de o hoax ter se espalhado por meio do feed de notícias, alcançando milhares de pessoas em pouco tempo. Para nossa tristeza, parece que essa “praga” está voltando com força total, iludindo ainda usuários.

O boato que está sendo compartilhado na rede social é de que o Facebook é, agora, uma entidade pública, possuindo a permissão de divulgar, copiar, distribuir ou tomar qualquer informação compartilhada na plataforma. Isso só poderá ser impedido caso a pessoa poste uma mensagem informando que não deseja que seus dados sejam utilizados para outros fins. Como muitos devem imaginar, esse boato é mentira, mas tem enganado muita gente na rede social.

Mensagem antiga do Facebook no feed

O conteúdo original da mensagem segue conforme o texto a seguir, substituindo apenas o “X” pela data de postagem:

EU TAMBÉM NÃO AUTORIZO !!! A partir de “X” de junho de 2016, não dou permissão ao facebook ou às entidades associadas ao facebook para usar minhas imagens, informação ou publicações, tanto do passado como do futuro. Por esta declaração, dou aviso ao facebook que é estritamente proibido divulgar, copiar, distribuir ou tomar qualquer outra ação contra mim com base neste perfil e / ou seu conteúdo. O conteúdo deste perfil é informação privada e confidencial.

Nota: O Facebook é agora uma entidade pública. Todos os membros devem publicar uma nota como esta. Se preferir, pode copiar e colar esta versão. Se não publicar uma declaração pelo menos uma vez, estará permitindo o uso de suas fotos, bem como a informação contida nas atualizações de status do perfil. Não compartilhe. Você tem que copiar e colar.

Mensagem antiga do Facebook - hoax

Para começo de conversa, o Facebook não é uma “entidade pública”. Desde 2012, a rede social se transformou em uma empresa de capital aberto, com ações sendo negociadas na bolsa de valores. Portanto, isso já invalidaria completamente essa ameaça de que Mark Zuckerberg estaria interessado em usar os seus dados para outros fins.

“O discernimento do usuário deveria ser o principal filtro”

Sobre o caráter público de todas as informações compartilhadas, é preciso ir um pouco mais a fundo para entender a questão. As imagens que você joga no Facebook, por exemplo, são “públicas” se considerarmos que qualquer pessoa que as visualize pode – mas não deveria – baixar e as utilizar como bem entender. A própria rede social fala sobre como as informações estão protegidas sobre direito de uso, mas o discernimento do usuário deveria ser o principal filtro.

Você é proprietário de todo o conteúdo e informações que publica no Facebook, e você pode controlar como eles serão compartilhados por meio das suas configurações de privacidade e aplicativos. […]

Ao publicar o conteúdo ou informações usando a opção Público, significa que você permite que todos, incluindo pessoas fora do Facebook, acessem e usem essas informações e as associem a você (isto é, seu nome e a foto do perfil).

Caso você não queira que as suas informações seja compartilhadas em caráter público – para todos os visitantes da rede social –, é preciso modificar o tipo de postagem clicando no cadeado ao lado do editor de mensagem. Ali você pode escolher se o conteúdo poderá ser visualizado apenas por amigos, amigos dos amigos ou por todos.

Portanto, não caia nesse hoax que está se disseminando novamente pelo Facebook. A rede social não se transformou em uma “entidade pública” e suas informações não serão utilizadas para fins maliciosas por Mark Zuckerberg. Mas fica o aviso: tome cuidado com tudo que você compartilha na grande rede. Se você sentiria vergonha de mostrar determinado conteúdo para a sua mãe/pai/responsável, o melhor mesmo é deixar guardado para você.

Fonte:Tecmundo


Sem o número do IMEI pode ser feito o bloqueio do celular roubado

Bloqueio de celular roubado - IMEI

Desde dia 08 de março de 2016 está mais fácil bloquear celulares roubados, extraviados ou perdidos, bastando apenas ao usuário informar o número da linha para a operadora. Antes, era necessário anunciar os cerca de 15 números que compõem o identificador chamado IMEI – espécie de chassi dos aparelhos, que pode ser visualizado ao se digitar *#06#. Ele também pode ser localizado na parte traseira do aparelho, em geral perto da bateria, caso o celular esteja descarregado.

De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o bloqueio pode ser feito junto às operadoras em todo o Brasil e, também, na Polícia Civil da Bahia, Ceará e Espírito Santo, onde já há acesso ao sistema. Em breve, o mesmo poderá ser feito nas delegacias de Goiás, Mato Grosso, Rio de Janeiro e São Paulo, bem como por meio da Polícia Federal.

Basta ao usuário fazer uma ocorrência nas delegacias para, automaticamente, o celular ser incluído em uma lista que contém aparelhos roubados, extraviados ou perdidos tanto em território nacional como em 44 outros países. No caso de aparelhos com dois chips, o ideal é informar o número das linhas às duas operadoras.

Fechando o cerco

“Estamos adotando duas formas de combate a roubos e furtos. A primeira, bastando apresentar às operadoras ou delegacias o número do celular, em vez dos 15 números do identificador, para bloqueá-lo. A segunda, ao obrigarmos que transportadores e lojistas incluam, na nota fiscal, esse identificador. Isso possibilitará a identificação dos aparelhos em caso de roubo de cargas ou em lojas varejistas”, disse o presidente da Anatel, João Rezende, ao anunciar as medidas hoje em Brasília.

A fim de evitar que as pessoas adquiram celulares roubados, foi disponibilizada, na internet, uma página  na qual é possível saber se os identificadores Imei estão bloqueados. A consulta pode ser feita pelo site www.consultaaparelhoimpedido.com.br.

“Para saber o número de identificador, basta digitar *#06# no próprio aparelho celular”, informou Rezende. Segundo o superintendente de Planejamento e Regulamentação da Anatel, Alexandre Bicalho, “o roubo de celulares já estava virando uma indústria no país”, inclusive, com a comercialização de aparelhos roubados no exterior.

“Por isso, a consulta [sobre aparelhos bloqueados] terá também uma base internacional com mais de 30 milhões de registros de celulares roubados em 44 países”, disse o superintendente da Anatel.

Nos casos em que a pessoa perdeu e, depois, encontrou o aparelho, será possível fazer o desbloqueio junto à operadora. Já os aparelhos roubados que tenham sido localizados pela polícia poderão ser devolvidos ao proprietário original. “Para isso, basta a boa vontade do policial ou de quem [na consulta] descobrir que o celular está bloqueado”, finalizou Bicalho.

Texto de Pedro Peduzzi, publicado na Agência Brasil 

Fonte: [Olhar Digital]


Sua internet pode piorar com as limitações das operadoras

ilimitações na internet

No começo de fevereiro que a Vivo anunciou um novo modelo de negócios para o Internet Fixa, antigo Speedy, que é sua divisão responsável por oferecer planos de internet residencial. As declarações da companhia chocaram a internet: a partir de 2017, os planos de banda larga da empresa passariam a ter um sistema de franquia igual aos que já conhecemos no mundo da rede móvel.

Isso significa que, no ano que vem, clientes da companhia terão um limite de dados em gigabytes para navegar na web – e, caso ultrapasse tal saldo, suas conexões podem ter a velocidade reduzida ou até mesmo serem cortadas, sendo necessário pagar uma taxa extra para continuar navegando normalmente. Em seu plano mais econômico (Banda Larga Popular de 200 Kb/s), a Vivo oferecerá uma franquia de 10 GB; no mais robusto (25 Mb/s), esse valor sobe para 130 GB.

Em meio a uma polêmica absurda, não demorou muito para que outras operadoras decidissem aderir à nova moda: a NET/Claro e a Oi entraram na onda das franquias, enquanto a Live TIM preferiu resguardar-se sobre o assunto. Mas, afinal, o que muda na vida do consumidor caso esse novo formato entre em vigor? O que cada empresa tem a dizer sobre o assunto? Quais iniciativas estão sendo organizadas para barrar a mudança? Veja algumas respostas para essas e outras perguntas fundamentais.

VEJA A MATÉRIA COMPLETA AQUI

Veja mais Link1

Veja mais Link2


Golpe no WhatsApp espalha vírus no celular

maxresdefault

Um esquema descoberto no WhatsApp promete acesso ao recurso de videochamadas, ainda inexistente no mensageiro. O convite para usar a falsa ferramenta tem sido disseminado por contatos, na forma de uma mensagem com link. Com isso, uma página é aberta para pedir dados pessoais de usuários, como número de telefone. Revelado nesta segunda-feira (22), o golpe tem origem no Brasil e foi denunciado pela Kaspersky Lab.

Depois de preencher um formulário, quem cai no falso convite é informado, pelo site malicioso, que é necessário convidar dez amigos para a novidade. Essa dinâmica permite ao golpe se espalhar com facilidade e infectar celulares com WhatsApp. 

Após convidar o número mínimo de contatos, o usuário é direcionado para uma série de ofertas de apps de origem duvidosa, que podem prejudicar a segurança do smartphone. De acordo com a Kaspersky Lab, os tipos de aplicativos e conteúdo das mensagens que disparam o esquema são diferentes entre Android,Windows Phone e iPhone (iOS).

Um ponto grave a respeito dessa nova manobra de cibercriminosos é que links de programas legítimos têm sido usados. Com isso, apps confiáveis são distribuídos de forma suspeita, o que pode iludir os clientes. 

Outro detalhe perigoso é que ao informar o número do celular no preenchimento do formulário, o usuário dá aos criminosos a possibilidade de inscrevê-lo em serviços de assinatura, que podem causar prejuízos muito maiores.

whatsapp-golpe

Fique atento para mensagens suspeitas (Foto: Divulgação/Kaspersky Lab)

O golpe repete uma fórmula já aplicada em outros episódios. Para o analista sênior de segurança da Kaspersky Lab no Brasil, Fabio Assolini, isso demonstra que os crimes anteriores foram bem-sucedidos e que os hackers seguem com a mesma estratégia para invadir aparelhos. 

Fonte: [TechTudo]

Celulares seminovos valem descontos na troca por um aparelho novo

celulares

De olho em quem quer trocar o aparelho de celular, as empresas de telefonias estão comprando celulares usados e convertendo o valor em desconto na aquisição de um novo. Os descontos podem chegar a R$ 2,4 mil, a depender da operadora e do estado do aparelho usado.

O programa da Vivo recebe qualquer aparelho independente da operadora, com descontos de até 2,4 mil. No entanto, o desconto está condicionado a contratação de planos pós-pagos e de fidelização. A Oi também realiza a troca do usado. Qualquer aparelho pode valer até R$ 1,6 mil na troca por um novo. Não é necessário aderir a nenhum plano da Oi. Claro e Tim informaram ao CORREIO que ainda não disponibilizam este  serviço para não-clientes.

Procura por usados chega a 30%, aponta Sebrae

O segmento de usados como um todo  tem crescido na contramão da crise. Segundo o superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Adhvan Furtado, a procura do consumidor por esse tipo de negócio e o aumento no movimento de vendas cresceu entre 20% e 30%.

Os números são do último levantamento feito pelo Sebrae, que mostrou ainda que, desde janeiro de 2013, o crescimento dos pequenos negócios nesse segmento era de 23%, considerando as 10,8 mil micro e pequenas empresas existentes no Brasil naquele período. “A própria crise potencializou esse mercado. Todo mundo tem buscado mais benefício com menor custo”, explica Furtado.

Fonte: [iBahia]

Instagram terá anúncios em vídeo de até 60 segundos

instagram2

Anúncios do Instagram parecem ainda não ter entrado na moda no Brasil, mas lá fora eles já estão começando a ganhar corpo. Percebendo a tendência, o aplicativo começou a dar mais liberdade para as empresas, e anunciou nesta terça-feira, que liberou vídeos de até 60 segundos em sua plataforma, dobrando o tempo-limite de anúncios em vídeo.

Quando os anúncios em vídeo foram liberados na plataforma, em setembro do ano passado, o limite era de 30 segundos, que já é o dobro do que os usuários podem usar. A ideia era atrair anunciantes oferecendo o mesmo tempo que um comercial de TV normalmente tem e dar o tempo necessário para que as marcas pudessem passar sua mensagem.

No entanto, você, eu e praticamente toda a base de 400 milhões de usuários do Instagram, continuaremos com seu limite de 15 segundos de vídeo, a menos que decida pagar para publicá-los.

A publicidade no Instagram é uma das principais apostas do Facebook, destacada durante a apresentação dos resultados da empresa no último trimestre. A empresa diz que 98 dos 100 maiores anunciantes do Facebook também recorreram ao Instagram no período. Com maior liberdade criativa, a expectativa é que o interesse no formato publicitário aumente.

Fonte: [Olhar Digital]

Android rende bilhões ao Google

android-2016

Por uma questão de negócios, o Google não divulga oficialmente quanto cada um de seus produtos rende em termos de faturamento e lucro anualmente. Porém, durante um processo movido pela Oracle contra a empresa, a criadora do Java afirmou que só o sistema Android já levou mais de US$ 31 bilhões (cerca de R$ 127 bilhões) aos cofres do Google em sete anos.

A informação foi divulgada durante uma das audiências em que a Oracle acusa o Google de ter utilizado o Java durante o desenvolvimento do Android sem pagar as licenças de uso. Foi durante esse mesmo processo que os advogados da Oracle revelaram que o Google pagou mais de US$ 1 bilhão à Apple para ser o buscador padrão do iPhone.

Lançado em 2008, o Android gera lucros para o Google exibindo anúncios para usuários do sistema e com uma parcela das compras realizadas em sua loja de aplicativos, a Google Play. Segundo a Oracle, o Java foi utilizado de modo ilegal porque o Google tinha pressa para finalizar o sistema operacional que competiria com o iOS, da Apple.

A empresa, naturalmente, não ficou nada feliz com a revelação sobre o seu faturamento. O Google disse que já entrou com uma ação na Justiça americana para remover dos arquivos públicos a transcrição da audiência em que os advogados da Oracle revelam detalhes “sensíveis” para a sua estratégia comercial.

Via [Bloomberg] [Olhar Digital]

 

Não fique sem WhatsApp baixe o Telegram

telegram-messenger-vs-whatsapp

Telegram ganha 1,5 milhão de usuários brasileiros após queda do WhatsApp. O aplicativo Telegram, que tem funções semelhantes às do WhatsApp, passou a ter 500 mil novos usuários brasileiros em três horas, de acordo com o próprio app.
As principais operadoras de telefonia móvel do Brasil foram intimadas pela Justiça nesta quarta-feira (16) a bloquear o app de mensagens WhatsApp em todo o território nacional por 48 horas. O bloqueio vale a partir da 0h de quinta-feira (17).
O recebimento da determinação judicial foi confirmado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal, o SindiTelebrasil, que representa Vivo, Claro, Tim, Oi, Sercomtel e Algar.

Baixe e convide seus amigos agora:

Para Android Click AQUI

Para IOS (Iphone) Click AQUI

 

Ou você pode ir direto no pelo celular e baixar…Na loja Google Play ou App Store – iTunes e procurar por Telegram.

 

O fim do CHIP SIM pode estar próximo…

Fim-do-chip

O SIM card está morrendo, e sua falta provavelmente não será sentida. Depois de anos diminuindo progressivamente de tamanho, Apple e Samsung, as duas maiores fabricantes de smartphones no mundo, estão discutindo com a indústria de telecomunicações o fim do tradicional chip, que dará lugar a uma solução virtual.

O novo ser padrão desenvolvido pela Apple e Samsung em parceria com alguns operadores tem sido chamado e-SIM, uma vez que será construída dentro do aparelho. A ideia é que, no futuro, através do sistema operacional, você registrar o seu número de telefone no Smartphone sem a necessidade de inserir um cartão SIM do operador correspondente. Ou seja, todo o processo é eletrônico e via software. Este novo sistema irá permitir ao utilizador alterar transportador de uma maneira mais fácil, possivelmente colocando a extremidade, a longo prazo, para dispositivos com mais de um chip.

Segundo o Financial Times, as empresas conversam com a GSMA, associação que controla o sistema telefônico GSM, usado pela maioria das operadoras de telefonia no mundo. 

A sigla E-SIM se refere a “embedded SIM”, cuja tradução seria “SIM incorporado”. O nome dá a entender que o usuário não teria mais acesso ao chip do celular. No entanto, isso também não seria necessário, já que você pode trocar de operadora sem precisar mexer no seu Smartphone.

O primeiro passo já foi dado pela Apple há pouco tempo, com o iPad Air 2. Nos EUA, é possível optar pelo Apple SIM, uma solução própria para o cartão SIM virtual. No entanto, o impacto na indústria não foi muito grande, e as operadoras não abraçaram a ideia.

O E-SIM não deve ser um padrão imediato, e o chip tradicional deve continuar sendo dominante por algum tempo, porque ele ainda é muito usado no mundo todo. No entanto, várias grandes operadoras já estão no barco, como AT&T, Deutsche Telekom, Etisalat, Hutchison Whampoa, Orange, Telefónica, Vodafone. Se mais fabricantes e operadoras decidirem apoiar o padrão, o chip SIM como conhecemos hoje deve morrer em alguns anos.

Fonte: [Olhar Digital]

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers